AS RECOMENDAÇÕES PARA O APERFEIÇOAMENTO DO ACORDO

 

O estudo de aperfeiçoamento do Acordo tem como base ortográfica fundamental o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa (1990), e como base acessória as Bases Analíticas do Acordo Ortográfico de 1945.

A Comissão do ILLLP reconhece a necessidade de aperfeiçoar as disposições das reformas ortográficas anteriores, obras da Academia das Ciências de Lisboa e da Academia Brasileira de Letras, no sentido de uma maior regularização da escrita portuguesa. Para atingir esse fim, avançamos com um primeiro trabalho, resultado de um estudo minucioso e crítico de listas de grafias que sofrem alterações com a aplicação da nova ortografia.

Conscientes de que o presente estudo poderá ser alvo de crítica, por contrariar, em certos pontos, a prática corrente da aplicação das novas regras de escrita e por propor melhoramentos, sobretudo no que diz respeito à recolha de novas colheitas vocabulares, confiamos, ainda assim, que, desta forma, a Academia possa dar um forte contributo, imputado pelo seu dever estatutário, e avance com a sistematização de critérios e orientações, em prol de uma maior regularização e, por consequência, defesa de um bom português escrito.

A escrita é uma convenção, que tem por objetivo a representação da linguagem falada, e está, portanto, sujeita a mudanças. Encaramos, por isso, com naturalidade algumas alterações.

A futura publicação não será um tratado de ortografia, mas antes uma proposta de aperfeiçoamento de alguns pontos do texto de 1990. Um contributo que resulta de uma reflexão em torno da aplicação da nova ortografia e sobre algumas particularidades e subtilezas da língua portuguesa.

Convém esclarecer o que se entende por «aperfeiçoamento»: aperfeiçoar o Acordo Ortográfico não significa rejeitar a nova ortografia, mas antes aprimorar as novas regras ortográficas e retocar determinados pontos.

mala-posta
Do francês malle-poste
nome feminino
carruagem basicamente destinada ao transporte oficial do correio, em compartimento próprio, mas que também era usada para o transporte de passageiros e mercadorias


«Iam a Coimbra à matrícula geral, que é logo princípio do mês; e depois, uns de barco, outros na mala-posta, lá seguiam todos para aquela praia, à espera que se abrissem as aulas.» Trindade Coelho, In Illo Tempore, p. 69


«O Vilaça então lembrou os desastres da mala-posta. No de Alcobaça, quando tudo se virou, ficaram esmagadas as duas irmãs de caridade!» Eça de Queirós, Os Maias, p. 60


Plural: malas-postas

in Dicionário da Academia das Ciências de Lisboa [nova edição digital em curso]

Crédito da imagem: Pedro Ribeiro Simões

Apoios

X

Conteúdo protegido

Conteúdo protegido por direitos de autor